Restaura Alto Vale em Campo

maio 8, 2018 | Notícias, Restaura Alto Vale

No dia 03 de maio foi realizada uma capacitação e reunião inicial com toda a equipe que fará parte do projeto Restaura Alto Vale e alguns parceiros, com estudo detalhado da legislação vigente como o Código Florestal (Lei nº 12.727/2012), que embasará a adequação ambiental das propriedades que serão atendidas neste projeto.

No período da tarde do mesmo dia, a equipe visitou a primeira propriedade que será atendida pelo projeto, localizada em Trombudo Central (SC). Na propriedade de Sergio e Solange Buzana será realizada a restauração de áreas de preservação permanente hídricas, ao redor de nascentes e cursos da água que fornecem água para a propriedade, tanto para a família e para o gado. Nesta propriedade em questão o projeto irá doar as mudas e fazer o acompanhamento técnico, e a família se responsabilizará pela construção da cerca e plantio das mudas.

Sergio Buzana conta que percebeu a importância da restauração da Mata Ciliar a um tempo atrás, quando restaurou uma pequena área em sua propriedade. “Notei que o rio e a nascente começaram a verter água novamente, e é essa água que abastece a nossa casa hoje ”, comenta Sergio.

Técnicos da Apremavi durante visita de campo realizada em uma das propriedades do projeto. Foto: Arquivo Apremavi.

No dia 04 de maio, a equipe de campo do projeto, realizou visitas aos escritórios locais da Epagri nos municípios de Witmarsun e Vitor Meireles (SC), onde conversaram com os técnicos Pedro Paulo Chiminello e Maíra Elena Borges da Costa a fim de planejar os próximos passos para atendimentos das famílias cadastradas nesses municípios.

A semana do dia 07 a 11 de maio está sendo dedicada as visitas de campo à propriedades de Atalanta, e, capacitação da equipe para utilização da ferramenta CARGEO que permitirá o mapeamento e monitoramento das propriedades atendidas pelo projeto.

 

Entenda o Projeto

O Projeto Restaura Alto Vale, que será executado de 2018 a 2020,  tem como objetivo restaurar áreas degradadas da Mata Atlântica, contribuindo com a adequação de propriedades rurais e a conservação de mananciais hídricos e da biodiversidade no Alto Vale do Itajaí.

Tem o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, tendo sido aprovado no edital BNDES Restauração Ecológica – Foco 01/2015.  O edital tem como objetivo propiciar o aumento da cobertura vegetal com espécies nativas, além de fortalecer a estrutura técnica e de gestão da cadeia produtiva do setor de Restauração Ecológica no Brasil. O edital recebeu mais de 70 propostas, sendo aprovados doze projetos, entre eles o da Apremavi.

São parceiros do projeto a AMAVI, a UNIDAVI, a EPAGRI, a Prefeitura Municipal de Atalanta e o ICMBio, assim como vários outros atores locais.

Autoras: Karen A. Flores; Maíra Ratuchinski e Edilaine Dick.
Fotos: Edilaine Dick e Daiana Tânia Barth.

Pin It on Pinterest

Share This