Restaura Alto Vale

O Projeto Restaura Alto Vale, que será executado de 2018 a 2020,  tem como objetivo restaurar áreas degradadas da Mata Atlântica, contribuindo com a adequação de propriedades rurais e a conservação de mananciais hídricos e da biodiversidade no Alto Vale do Itajaí.

Tem o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, tendo sido aprovado no edital BNDES Restauração Ecológica – Foco 01/2015.  O edital tem como objetivo propiciar o aumento da cobertura vegetal com espécies nativas, além de fortalecer a estrutura técnica e de gestão da cadeia produtiva do setor de Restauração Ecológica no Brasil. O edital recebeu mais de 70 propostas, sendo aprovados doze projetos, entre eles o da Apremavi.

São parceiros do projeto a AMAVI, a UNIDAVI, a EPAGRI, a Prefeitura Municipal de Atalanta e o ICMBio, assim como vários outros atores locais.

O público beneficiário são agricultores familiares, que tenham propriedades com tamanho de até quatro módulos fiscais. A região prioritária será o Alto Vale do Itajaí, mas existe a possibilidade de atuação também no Médio Vale do Itajaí e Planalto Norte de Santa Catarina. Para estarem aptas a receber apoio do projeto, as propriedades deverão estar cadastradas no Cadastro Ambiental Rural, o CAR.

O Restaura Alto Vale é uma ótima oportunidade para o agricultor familiar recuperar as áreas de preservação permanente de sua propriedade e adequar-se a legislação ambiental.

A Apremavi dará suporte técnico e fará a doação de mudas de árvores nativas. Quando necessário, poderão ser fornecidos arames para construção de cercas. Em contrapartida o agricultor deverá fornecer os demais materiais necessários, além da mão-de obra para a construção das cercas, o plantio e manutenção das áreas em restauração.

Acesse aqui o contrato de colaboração financeira assinado entre a Apremavi e o BNDES.

O que o projeto prevê:

Restauração de 310 hectares de áreas degradadas localizadas em áreas de preservação permanente
Restauração de 10 hectares de áreas degradadas localizadas no Parque Natural Municipal da Mata Atlântica e na RPPN Serra do Lucindo
Produção de 450.000 mudas de árvores nativas da Mata Atlântica
Intercâmbio e dias de campo com o público prioritário do projeto
Educação ambiental e envolvimento da comunidade escolar
Produção de conhecimento científico sobre a restauração

Como participar?

A Apremavi já possui um cadastro inicial com uma lista de propriedades que serão as parceiras deste projeto. Entretanto poderemos ampliar nosso cadastro e, por isso, solicitamos que todos os agricultores interessados em participar do projeto entrem em contato da seguinte forma:

  • Comunicando interesse a um agente da Epagri ou da Secretaria de Agricultura do seu município; ou,
  • Diretamente com a Apremavi pelos telefones (47) 3521-0326 e 3535-0119 ou pelo e-mail: info@apremavi.org.br

 

Critérios para fazer parte do projeto

As áreas a serem recuperadas não podem ser áreas para as quais já exista obrigação de restauro estabelecida por:

  1. termos de compromisso,
  2. termos de ajustamento de conduta, autuações administrativas por infrações à legislação ambiental;
  3. decisões judiciais; e/ou,
  4. condicionantes de licença ambiental.

Serão priorizados aqueles agricultores que já tenham realizado o Cadastro Ambiental Rural – CAR de suas propriedades.

Fique por dentro das nossas atividades

  • Leia mais
    Unidavi recebe exposição As Belezas da Mata Atlântica
    15 de Fevereiro de 2018
  • Leia mais
    Apremavi ajuda a arborizar praça central em Rio do Sul
    14 de Fevereiro de 2018
  • Leia mais
    Faça parte da equipe da Apremavi
    14 de Fevereiro de 2018
  • Leia mais
    Apremavi inicia projeto Restaura Alto Vale
    8 de Fevereiro de 2018
  • Leia mais
    Parque Nacional dos Campos Gerais inicia formação do conselho consultivo
    23 de Janeiro de 2018
 Este projeto é patrocinado pelo
São parceiros deste projeto

 

                                        

Pin It on Pinterest

Share This