Planejamento de Paisagens Sustentáveis pode ter Fórum Colaborativo

ago 24, 2017 | Notícias

Nos dias 22 e 23 de agosto de 2017, a Apremavi, em parceria com a EcoAgriculture Partners e o Diálogo Florestal, e apoio da Fundação Mitsubishi, promoveu o Workshop Diálogo, planejamento e gestão integrada de paisagens sustentáveis – rede de aprendizagem sobre paisagens, em São Paulo (SP).

O workshop promoveu a troca de experiências entre as instituições participantes e identificou métodos de trabalho em conjunto que permitam avanços significativos na aprendizagem sobre gestão integrada da paisagem na Mata Atlântica, incluindo restauração, conservação e desenvolvimento sustentável. O evento reuniu representantes das seguintes instituições: Apremavi, EcoAgriculture Partners, Diálogo Florestal Brasileiro, Diálogo Florestal Internacional, Fóruns Florestais da Bahia, São Paulo, Paraná/Santa Catarina e Espírito Santo, União Internacional para Conservação da Natureza (UICN), World Resources Institute (WRI), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Pacto pela Restauração da Mata Atlântica, Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo (Cepagro), Instituto do Democracia e Sustentabilidade (IDS), Fundação Renova, World Wide Fund for Nature (WWF) e Laboratório de Hidrologia Florestal da ESALQ/USP.

Miriam Prochnow da Apremavi fez a mediação das atividades. Foto: Carolina Schaffer.

Apremavi, Diálogo Florestal e EcoAgriculture Partners abriram o workshop apresentando expectativas e metodologias de trabalho. Na sequencia, as instituições convidadas fizeram um breve apontamento sobre o histórico de trabalho realizado por eles, como eles se relacionam com o planejamento de paisagens e qual é o efeito desse trabalho.

As seções plenárias indicaram que muito mais do que uma nova rede, precisamos construir espaços concretos de aprendizado sobre planejamento de paisagens, aproximando instituições para comunicar iniciativas, integrar ferramentas e fortalecer projetos podendo assim atrair mais recursos, envolver novos parceiros e ganhar escala de trabalho.

Surge então a ideia do Fórum Colaborativo sobre Planejamento de Paisagens, um espaço para promover ações concretas para o planejamento de paisagens.

Além de apontar a necessidade da criação do Fórum, foram apontadas pelo grupo potenciais áreas piloto para o planejamento de paisagens sustentáveis como a Bacia do Rio Doce (MG/ES), o Sistema da Cantareira (SP) e o Alto Vale do Itajaí (SC), e, elencadas atividades potenciais, com base no quadro de capacidades, a serem desenvolvidas nessas áreas.

Grupos de trabalho apontaram potenciais áreas piloto para desenvolvimento de projetos. Foto: Carolina Schaffer.

Como será o Fórum?

João Paulo Capobianco, do IDS, apontou que muito além de compartilhar ferramentas já existentes, o fórum nasce como um espaço colaborativo para implementar ações concretas. “Não podemos mais nos perder no diálogo de metodologias teóricas, aprendizado sobre planejamento de paisagens integradas se aprende na prática”, destacou Capobianco.

Ivone Namikawa, do Diálogo Florestal, destacou a importância de agregar ao fórum os atores faltantes podendo assim levar os resultados das experiências exitosas para os pontos que precisam de ajuda. Ivone acredita que “a presença da academia deve ser efetiva, não só vindo trazer mais uma contribuição teórica, mas registrando todas as novas contribuições que virão a ser dadas pelo grupo“.

Miguel Moraes, da UICN, acredita que “o Fórum precisa construir uma coerência entre os projetos, amadurecer o conteúdo e ter pro atividade para apresentar futuras propostas aproveitando janelas de oportunidades”.

Participantes preencheram quadro de capacidades. Foto: Carolina Schaffer.

Próximos passos

Agora o grupo irá detalhar as atividades sugeridas, bem como avaliar a viabilidade das áreas piloto propostas e tentar desenvolver ações conjuntas para a implementação do Fórum Colaborativo.

Autora: Carolina Schäffer

Pin It on Pinterest

Share This